quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

about the one who could read just by looking

E ainda hoje conheces bem o meu olhar... Admira-me como vês sempre os monstros...
[como se o tempo não passasse por nós]

É teu. 
Já deixou de ser meu.
 Fica com ele, sempre foi mais teu que meu.

2 comentários:

Diogo disse...

Este é um bom blog Hugo.

Beky disse...

Pensava que eu é que era quem escrevia na família, mas sempre que venho espreitar-te deixas-me sem respiração. Tens coisas lindas dentro de ti!